Antonio de Castro Alves

(14 March 1847 – 6 July 1871 / Curralinho)

A um coração - Poem by Antonio de Castro Alves

Ai! Pobre coração! Assim vazio
E frio
Sem guardar a lembrança de um amor!
Nada em teus seio os dias hão deixado!...
í‰ fado?
Nem relí­quias de um sonho encantador?


Não frio coração! í‰ que na terra
Ninguém te abriu... Nada teu seio encerra!
O vácuo apenas queres tu conter!
Não te faltam suspiros delirantes,
nem lágrimas de afeto verdadeiro...
í‰ que nem mesmo â€" o oceano inteiro â€"
Poderia te encher!...

Listen to this poem:

Comments about A um coração by Antonio de Castro Alves

There is no comment submitted by members..



Read this poem in other languages

This poem has not been translated into any other language yet.

I would like to translate this poem »

word flags

What do you think this poem is about?



Poem Submitted: Wednesday, June 6, 2012

Poem Edited: Wednesday, June 6, 2012


[Report Error]