Carlos Aragao

Rookie - 28 Points (10-17-1959 / Brazil)

Confissão. - Poem by Carlos Aragao

Não te conheço,
E já te amo desde sempre...
Não passas de uma mentira,
E assim mesmo te creio...

E já não posso,
Por meu deus,
Te dar meu perdão.

Me encontrei,
Nesta dimensão do nada,
Entre você e o que sou,

Me perdi entre sonhos,
E a realidade do que não eres,
Do que jamais serás...

Me perdi, num sonho do que podia ter sido,
Entre a realidade do que fostes,
E a mentira do que eres...

Mas sigo negando, desde sempre,
Este amor que te tenho,
Cheio de dor, fatalidade e saudade,
Por mim, por você, e quem mais for...

Porque negar a mim mesmo,
A felicidade,
E nada mais que pura rotina,

Porque a felicidade para mim,
E um prazer que não permito,
Um fruto proibido,
Um jogo de pura sorte.

Mas sigo eventualmente,
Te amando,
E te pedindo dia após dia,
Que me perdoes por tudo aquilo que nao fomos,

Pela vida que não tivemos,
Pela alegria que nos negamos,
Pelo toque que não aconteceu,
E o beijo que nos condenou.


Comments about Confissão. by Carlos Aragao

There is no comment submitted by members..



Read this poem in other languages

This poem has not been translated into any other language yet.

I would like to translate this poem »

word flags

What do you think this poem is about?



Poem Submitted: Thursday, February 14, 2008

Poem Edited: Sunday, May 5, 2013


[Hata Bildir]