Bernardo Almeida


Bernardo Almeida Poems

1. Morphine 5/24/2012
2. O Brinde Da Moeda Humana 5/24/2012
3. Palavra 5/24/2012
4. Aos 29 5/24/2012
5. Para Alguém Que Se Foi Com A Mesma Idade Que Eu... 5/24/2012
6. Canção Para Ninar Crocodilo 5/24/2012
7. Augusta 5/24/2012
8. Morfina 5/24/2012
9. Bilheteria 5/24/2012
10. Deuses E Demônios 5/24/2012
11. Institucionalizado 5/24/2012
12. Amor Perdido 5/24/2012
13. Amigos Do Entorno 5/24/2012
14. Mesa Farta 5/24/2012
15. Contatos Noturnos 5/24/2012
16. Voto Nulo 5/24/2012
17. Incógnita 5/24/2012
18. Nem Um, Nem Outro 5/24/2012
19. Clandestino (Viajante) 5/24/2012
20. O Segundo Toque 5/24/2012
21. De Braços Dados 5/24/2012
22. Anônimo 5/24/2012
23. Deveras, Homem! 5/24/2012
24. Pagão 5/24/2012
25. Devoção 5/24/2012
26. Condenação Sócio-Laboral 5/24/2012
27. Múltipla (Transcendental) 5/24/2012
28. Au Revoir! 5/24/2012
29. Geração Exonerada 5/24/2012
30. Carne, Osso E Memórias 5/24/2012
31. Amor Lumière (Plus Belle) 5/24/2012
Best Poem of Bernardo Almeida

O Brinde Da Moeda Humana

Se teu corpo estremecer, bem-vinda seja à minha morte
A fossa fúnebre dos que te repelem, no canal,
Faz companhia àqueles que fingiram te amar
Sentados quando precisaste, e, de pé, para agraciar a tua desgraça
Ninguém torceu por ti porque na vida todos são homens
Arrogantemente frágeis, um espectro evolucionário distante
Da terra, a miséria emana suas divergências e desigualdades
Com mais ferramentas que membros e pensamentos
Intolerantes e contundentes, um cacho de débeis articulações
Sem representar escândalo ou surpresa senão para a mediocridade
Um resto de ...

Read the full of O Brinde Da Moeda Humana

O Brinde Da Moeda Humana

Se teu corpo estremecer, bem-vinda seja à minha morte
A fossa fúnebre dos que te repelem, no canal,
Faz companhia àqueles que fingiram te amar
Sentados quando precisaste, e, de pé, para agraciar a tua desgraça
Ninguém torceu por ti porque na vida todos são homens
Arrogantemente frágeis, um espectro evolucionário distante
Da terra, a miséria emana suas divergências e desigualdades
Com mais ferramentas que membros e pensamentos
Intolerantes e contundentes, um cacho de débeis articulações

[Report Error]