Inácio José de Alvarenga Peixoto

(1744 - 1793 / Rio de Janeiro)

De Açucenas e Rosas Misturadas - Poem by Inácio José de Alvarenga Peixoto

De açucenas e rosas misturadas
não se adornam as vossas faces belas,
nem as formosas tranças são daquelas
que dos raios do sol foram forjadas.

As meninas dos olhos delicadas,
verde, preto ou azul não brilha nelas;
mas o autor soberano das estrelas
nenhumas fez a elas comparadas.

Ah, Jônia, as açucenas e as rosas,
a cor dos olhos e as tranças d'oiro
podem fazer mil Ninfas melindrosas;

Porém quanto é caduco esse tesoiro:
vós, sobre a sorte toda das formosas,
inda ostentais na sábia frente o loiro!


Comments about De Açucenas e Rosas Misturadas by Inácio José de Alvarenga Peixoto

There is no comment submitted by members..



Read this poem in other languages

This poem has not been translated into any other language yet.

I would like to translate this poem »

word flags

What do you think this poem is about?



Poem Submitted: Saturday, June 2, 2012

Poem Edited: Saturday, June 2, 2012


[Report Error]