Augosto dos Anjos

(20 April 1884 - 12 November 1914 / Pau d'Arco)

Mystica Visio - Poem by Augosto dos Anjos

Vinha passando pelo meu caminho
Um vulto estranhamente iluminado...

Para onde eu ia, o vulto ia a meu lado

E desde então, não andei mais sozinho!


Abraçou-me. beijou-me com um carinho

Que a um ser divino não seria dado...

E eu me elevava, sendo assim beijado

Muito acima do humano borborinho!


Falou-me de ilusões e de luares,

Da tribo alegre que povoa os ares...

- Assombrava-me aquela claridade!


Mas através daquelas falsas luzes

Pude rever enfim todas as cruzes

Que têm pesado sobre a Humanidade!

Listen to this poem:

Comments about Mystica Visio by Augosto dos Anjos

There is no comment submitted by members..



Read this poem in other languages

This poem has not been translated into any other language yet.

I would like to translate this poem »

word flags

What do you think this poem is about?



Poem Submitted: Tuesday, June 5, 2012

Poem Edited: Tuesday, June 5, 2012


[Report Error]