Antônio Gonçalves Dias

(10 August 1823 - 3 November 1864 / Caxias)

Antônio Gonçalves Dias Poems

1. Soneto 1/1/2004
2. O Soldado Espanhol 1/1/2004
3. The Song Of Exile 4/16/2010
4. Seus Olhos 1/1/2004
5. I-Juca Pirama 1/1/2004
6. Minha Terra! 1/1/2004
7. Ainda Uma Vez — Adeus 1/1/2004
Best Poem of Antônio Gonçalves Dias

Ainda Uma Vez — Adeus

I

Enfim te vejo! — enfim posso,
Curvado a teus pés, dizer-te,
Que não cessei de querer-te,
Pesar de quanto sofri.
Muito penei! Cruas ânsias,
Dos teus olhos afastado,
Houveram-me acabrunhado
A não lembrar-me de ti!

II

Dum mundo a outro impelido,
Derramei os meus lamentos
Nas surdas asas dos ventos,
Do mar na crespa cerviz!
Baldão, ludíbrio da sorte
Em terra estranha, entre gente,
Que alheios males não sente,
Nem se condói do infeliz!

III

Louco, aflito, a saciar-me
D’agravar minha ferida, ...

Read the full of Ainda Uma Vez — Adeus
[Hata Bildir]