Carlos Aragao

Rookie - 24 Points (10-17-1959 / Brazil)

Falivel - Poem by Carlos Aragao

Caminhar comigo mesmo,
Nunca foi tão difícil...
Seguro minha alma numa tênue membrana,
E tento recuperar a razão, nestas manhas...
... em que te busco...

Não quero acordar,
E conto os minutos,
Para no sono,
Outra vez abordar...

A noite se faz densa,
E cedo, muito cedo, me abandona.
O sono em que me escondo da dor,
E pouco, rápido e fugaz...

Toda a mentira vivida,
Se repete e me entorpece,
Todos os sonhos mentidos,
Me sufocam e me cegam a mente.

Todas as palavras mal ditas,
Se repetem e se multiplicam,
Todas as almas aflitas,
Me perseguem entre ruas e luas perdidas...

Me encontro e me pergunto,
O porque dessa desilusão,
Me respondo: Criaste um Deus falível,
Em que baseaste tua religião...

Fostes nada mais que previsível,
Diante deste mesmo falível ser,
Onde a verdade e o mistério,
Não alcançam o amanhecer.

A tua mentira, e a aparência de tua vida,
Perseguem-te, neste limbo de inverdades,
Onde te encontras eventualmente,
Com aquilo que te tornastes.

Te tenho decifrada,
Em todos os níveis e em todas as cores,
Mas me lembro com saudade,
Do mito que criaste(entre fabulas e rancores...)

Te desminto a cada minuto,
Mas te sinto em cada segundo,

Fostes tudo por um momento.
E tua presença inexistente
Me destroca...
...em cada rajada de vento.


Comments about Falivel by Carlos Aragao

There is no comment submitted by members..



Read this poem in other languages

This poem has not been translated into any other language yet.

I would like to translate this poem »

word flags

What do you think this poem is about?



Poem Submitted: Sunday, November 18, 2012

Poem Edited: Monday, October 7, 2013


[Hata Bildir]