Carlos Aragao

Rookie - 27 Points (10-17-1959 / Brazil)

Flor De Lis - Poem by Carlos Aragao

A flor se encheu de pavor,
Perdida entre mundos e estações,
Completamente só...
Vivendo e florescendo somente por um dia...

Nasceu num dia incerto,
Sempre com a surpresa do amanhecer,
Sempre perdida entre um calor ameno,
Um sol incerto... Um eterno querer.

Vivia e revivia,
Entre poemas Djavanescos,
Entre margaridas que não nasceram,
Entre sonhos burlescos.

Era pedra, era flor...
Era milagre,
Era puro amor...

Nascia e morria ao mesmo tempo,
Sorvia solenemente sol e vento,
Sua existência era um milagre gentil,
Uma sede eterna, inspirada em Gil.

Tenho sede me dizia,
Tenho ânsias de viver...
Vou brilhar enquanto possa...
Mas já vem o entardecer.

Tive sorte me contava,
Entre morrer e renascer,
Mas tenho sede meu amor,
E já chega o entardecer...

Olha me, perdas a razão...
Eu só existo por ti,
E te imploro teu perdão...
Porque amanha somos saudade,
Apenas ânsia de viver.
E já chega o entardecer...

Vivo e floresço por ti,
Apenas um dia, a cada ano.
E te tenho morrendo,
A cada entardecer.

Sedenta sigo,
Sedento segues,
Em nosso amanhecer
Mas tão curto e este dia...
E já chega o alvorecer.


Comments about Flor De Lis by Carlos Aragao

There is no comment submitted by members..



Read this poem in other languages

This poem has not been translated into any other language yet.

I would like to translate this poem »

word flags

What do you think this poem is about?



Poem Submitted: Sunday, February 10, 2013

Poem Edited: Monday, February 11, 2013


[Hata Bildir]