Carlos Aragao

Rookie - 27 Points (10-17-1959 / Brazil)

Sentenca - Poem by Carlos Aragao

Se de todas cores,
A mais linda ainda e voce,
E de todos mares, revoltos,
Em ondas intensas e infinitas,
Ainda te recordo.

Se de todos os corpos,
O unico que imperfeitamente,
Mais que perfeito,
Me completa....

E de todas as lembrancas,
A unica, que carrego,
Cheia de carinho,
Segue sendo voce...

E mais que tudo,
Mais que um mundo,
Te nego e te minto,
E te juro esquecida,

Parte de nada,
Nada mais que areia,
Esquecimento e saudade...

E te juro verde,
Como as plantas e grama,
Que tanto amo.

E te juro negra,
Como o universo que temo,
E nao entendo....

E aqui, em eterna dor,
Te sinto presente,
E te carrego, nesta agonia eterna,
ao perderte...

E vida brota, de mim e voce,
E vida segue, sem perdao ou paixao,
E estranhos seremos,
Amanha e para sempre,

Numa corrente eterna,
Num desejo nao dito..
Em vidas suspensas...
....Num vento nao soprado.

Nesta busca eterna,
De uma praia deserta,
Onde te encontre,
Completamente pura.

Neste destino, mais que imposto,
Onde eu seja mais que um rosto,
Eternamente, condenado a voce....


Comments about Sentenca by Carlos Aragao

There is no comment submitted by members..



Read this poem in other languages

This poem has not been translated into any other language yet.

I would like to translate this poem »

word flags

What do you think this poem is about?



Poem Submitted: Thursday, January 17, 2008

Poem Edited: Wednesday, January 23, 2008


[Hata Bildir]