Catulo da Paixão Cearense

(8 October 1863 - 10 May 1917 / São Luís do Maranhão)

Chico Viola - Poem by Catulo da Paixão Cearense

Deus não anda na cidade.
Os dotô que véve sempre
nos livro a pesquisá,
nas fôia morta dos livro
nunca Deus há de encontrá.
Se vancê aí num é incréu,
e qué devéra sabê,
qué sabê Deus onde tá..
Não percure essa Criatura
nem nas igreja dos padre,
nem nos livro, nem no céu.
Sabe adonde é que Deus tá ?
Deus canta pelo biquinho
saudoso dum sabiá.
Deus anda cherando os mato
pru dentro dos capoerão.
Anda zanzando de noite
com a lua lá do sertão.
Ele canta enrodiado
no coração dum caboco
gemendo num desafio.
Ele véve nas froresta..
no meio das mata virge
tomando banho nos rio.
O vento, derruba um casa
num bofetão..né ?
Mas porém num tem um ente
que andando pelas fechado
das terra La do sertão,
Visse uma vez, sêo dotô,
a casa dum passarinho
que o vento jogou no chão.
É pru que Deus,
que é mais grande
que o céu e a terra,
e se esconde na ponta fina
dum espinho...
em noite de ventania
na da pulas mataria
atrepado pulas arve
pra segurança dos ninho.
Deus, num anda na cidade.
Deus é o ente que mais sofre
Pru que Ele é o Pai da sodade.
Deus é Deus pru que é mistéro
Deus num lê...
Deus num escreve.
Vancê creia que Deus passa
pela ciência dos homi,
como o sor passa nas nuvem
pru riba dum cemitéro.
Deus um Sábio anarfabeto.
E quando Deus qué se ri,
se mete dentro dos óio
duma muié..pra feri.
Pru sabe que a muié,
Ferindo memo consola.
Mas porém quando o sinhô
tá triste...tá com sodade
da Santa virge Maria,
Deus Nosso Sinhô se esconde
nas corda duma viola,
pra chorá memo á vontade
a sua malincunia.

Listen to this poem:

Comments about Chico Viola by Catulo da Paixão Cearense

There is no comment submitted by members..



Read this poem in other languages

This poem has not been translated into any other language yet.

I would like to translate this poem »

word flags

What do you think this poem is about?



Poem Submitted: Thursday, June 7, 2012



[Report Error]