Kinga Fabo


Anestesia (Anesthesia In Galego) - Poem by Kinga Fabo

Pensei: el lavou-me toda.
No entanto apenas me borrifou.
Estirou as minhas cores.
Engurrou-nas. Meteu-nas no interior da estátua.

Entom chegárom os fedores.
As raízes mal prendidas.
Como o corpo do delito.
Na mesa de operações.

Som estéril.
Famosa por fora.
Vazia por dentro.
Os meus verbos auxiliares som homes com toucas.

A doaçom del: vias férreas sem sorrisos;
sempre prontas para a tragédia -
estranhas, como um latejo do coraçom -
o pecado é tam só um adorno.

Nom tenho paz. Estou certa:
deitarei raiz nalgures.
El é um profissional.
Quer-me congelada.

(Suso Moinhos)

This is a translation of the poem Anesthesia by Kinga Fabo

Topic(s) of this poem: sadness


Comments about Anestesia (Anesthesia In Galego) by Kinga Fabo

There is no comment submitted by members..

Edgar Allan Poe

Annabel Lee



Read this poem in other languages

This poem has not been translated into any other language yet.

I would like to translate this poem »

word flags


Poem Submitted: Wednesday, June 7, 2017

Poem Edited: Wednesday, June 7, 2017


[Report Error]