Jean Claude Carvot


Onde O Sol Nunca Raiava - Poem by Jean Claude Carvot

Onde o sol nunca raiava
A mata escura ficava
E o mago caminhava
Sem destino a encontra-la

Pois ela por assim dizer
Havia o invocado
De um modo inesperado
Que ela não ia esquecer

Tiramos assim com reflexão
Que a guerra traz discussão
Completamente sem razão

O mago jamais a encontrou
E em sua sombra ela ficou
Somente quando morreu, ele a achou

Topic(s) of this poem: forest, strange, sun, war, witches


Comments about Onde O Sol Nunca Raiava by Jean Claude Carvot

There is no comment submitted by members..



Read this poem in other languages

This poem has not been translated into any other language yet.

I would like to translate this poem »

word flags


Poem Submitted: Sunday, November 29, 2015



[Report Error]