Bernardo Almeida


Mesa Farta - Poem by Bernardo Almeida

À mesa, refeições e olhares
Cada um com o seu
E cada seu com o meu
Não havia privacidade
Estalavam garfos e facas
Permutavam sensações e agonias
Um deles engasgou com um pedaço de verdade
Contra a sua vontade, desceu
Estava só na simulação
Outro, pediu desculpas
Alguém levantou sem se fartar
Quem estava à cabeceira fez o mesmo
Aos poucos, a mesa estava vazia
Apenas eu e o banquete
As sobras como prêmio
Por ter resistido até o fim


Comments about Mesa Farta by Bernardo Almeida

There is no comment submitted by members..



Read this poem in other languages

This poem has not been translated into any other language yet.

I would like to translate this poem »

word flags

What do you think this poem is about?



Poem Submitted: Thursday, May 24, 2012



[Report Error]